domingo, 16 de outubro de 2011

DILMA DIZ QUE O BRASIL PAGOU A DÍVIDA EXTERNA–UAHUAHAUAHUAHAUAHAUA SÓ NA CABEÇA DELA E DO RESTANTE DOS IMBECIS DOS IGNORANTES

SE ELA SOUBESE LER TERIA LIDO ESSA MATERIA NO SITE DO BANCO CENTRAL

Setor Externo

NOTA PARA A IMPRENSA - 23.9.2011

Setor Externo
I - Balanço de pagamentos - Agosto de 2011

O balanço de pagamentos registrou superávit de US$5,5 bilhões em agosto. As transações correntes apresentaram déficit de US$4,9 bilhões, acumulando nos últimos 12 meses déficit de US$49,7 bilhões, equivalente a 2,13% do PIB. No mês, a balança comercial foi superavitária em US$3,9 bilhões. A conta financeira registrou ingressos líquidos de US$9,9 bilhões. Destacaram-se, entre os ingressos líquidos de recursos, os investimentos estrangeiros diretos, US$5,6 bilhões; os créditos comerciais de curto prazo, US$4,9 bilhões; e os empréstimos de longo prazo, US$3,1 bilhões. Entre as saídas líquidas de recursos, ressaltaram-se as concessões de empréstimos de curto prazo a não residentes, US$3,9 bilhões.
A conta de serviços registrou déficit de US$3,4 bilhões no mês, 33,9% acima do registrado em igual período de 2010. As despesas líquidas com viagens internacionais totalizaram US$1,3 bilhão, com aumentos de 46% nos gastos de brasileiros no exterior e de 23,8% nos gastos de estrangeiros no País. As despesas líquidas com transportes, US$813 milhões, apresentaram elevação de 43,6%, enquanto os gastos líquidos com aluguel de equipamentos, US$1,4 bilhão, aumentaram 9,4%, sempre na mesma base de comparação.
As remessas líquidas de renda para o exterior atingiram US$5,5 bilhões, 81,6% acima do resultado de agosto de 2010. As remessas líquidas de renda de investimento direto somaram US$3,7 bilhões, elevação de 68,7%, sendo US$3,6 bilhões em remessas líquidas de lucros e dividendos. As remessas líquidas de renda de investimentos em carteira totalizaram US$1,5 bilhão, ante US$526 milhões no período comparativo, compostas por despesas líquidas de lucros e dividendos, US$1,5 bilhão, e receitas líquidas de juros de títulos de renda fixa, US$74 milhões. Houve aumento de 14,1% nas remessas líquidas de renda de outros investimentos, que totalizaram US$388 milhões.
As transferências unilaterais correntes acumularam ingressos líquidos de US$230 milhões no mês, diminuição de 2,1% em relação a agosto de 2010. Os ingressos para manutenção de residentes somaram US$174 milhões, praticamente inalterados em comparação a agosto de 2010, e os envios de recursos ao exterior com a mesma finalidade alcançaram US$75 milhões, elevação de 3,5%.
Os investimentos brasileiros diretos no exterior registraram retornos líquidos de US$305 milhões em agosto. As saídas de recursos destinados a aumento da participação no capital de empresas estrangeiras somaram US$529 milhões, enquanto as amortizações líquidas recebidas de empréstimos intercompanhias atingiram US$834 milhões.
Os investimentos estrangeiros diretos somaram ingressos líquidos de US$5,6 bilhões em agosto, ante US$6 bilhões em julho. Os ingressos líquidos para aumento da participação no capital de empresas no País atingiram US$4,3 bilhões, e os desembolsos líquidos de empréstimos intercompanhia somaram US$1,3 bilhão.
Os investimentos estrangeiros em carteira apresentaram ingressos líquidos de US$77 milhões, ante US$4,4 bilhões no mês anterior. Os investimentos em ações negociadas no País registraram ingressos líquidos de US$49 milhões. Os investimentos em títulos de renda fixa negociados no País apresentaram ingressos líquidos de US$94 milhões, comparados a saídas líquidas de US$335 milhões em julho. As amortizações líquidas de bônus públicos totalizaram US$790 milhões, incluindo US$83 milhões de ágios pagos em operações de recompra. As captações líquidas com notes e commercial papers somaram US$856 milhões em agosto, ante US$2,9 bilhões no mês anterior, e os títulos de curto prazo registraram amortizações líquidas de US$10 milhões.
Os outros investimentos brasileiros no exterior totalizaram aplicações líquidas de US$3 bilhões em agosto, compreendendo a concessão líquida de empréstimos de curto prazo, US$3,9 bilhões; redução de ativos de bancos no exterior, US$1,3 bilhão; e a constituição de ativos de demais setores, US$523 milhões.
Os outros investimentos estrangeiros no País registraram ingressos líquidos de US$6,5 bilhões em agosto. O crédito comercial de fornecedores somou desembolsos líquidos de curto prazo de US$4,9 bilhões. Os empréstimos de longo prazo somaram ingressos líquidos de US$3,1 bilhões, resultado de desembolsos líquidos de US$1,9 bilhão de empréstimos diretos, US$468 milhões de financiamento de compradores, US$426 milhões de agências e US$324 milhões de organismos. Os empréstimos de curto prazo somaram amortizações líquidas de US$766 milhões.
II - Reservas internacionais

As reservas internacionais somaram US$353,4 bilhões, em agosto, incremento de US$7,3 bilhões em relação ao apurado no mês anterior.
O Banco Central comprou liquidamente US$4,9 bilhões no mercado doméstico de câmbio, dos quais US$4,5 bilhões à vista e US$403 milhões a termo. A receita de remuneração das reservas totalizou US$388 milhões, enquanto as demais operações externas, relacionadas principalmente a variações de preços e de paridades, elevaram o estoque em US$2 bilhões.
III - Dívida externa

A posição estimada da dívida externa total em agosto atingiu US$304,2 bilhões, elevando-se US$12,6 bilhões em relação ao montante apurado para junho. A dívida de longo prazo atingiu US$251,9 bilhões, aumento de US$14,9 bilhões, enquanto a de curto prazo alcançou US$52,3 bilhões, retração de US$2,4 bilhões, nas mesmas bases de comparação.
No período analisado, os principais fatores de variação da dívida externa de longo prazo foram as captações líquidas de empréstimos por bancos, US$7,4 bilhões; empréstimos tomados por outros setores, US$4,1 bilhões; e títulos de bancos, US$3,5 bilhões. A variação por paridades elevou o estoque em US$170 milhões.
A retração da dívida externa de curto prazo decorreu de amortizações líquidas de empréstimos por bancos, US$1,1 bilhão, e por outros setores, US$1,2 bilhão.

http://www.bcb.gov.br/?ecoimpext

Nenhum comentário:

Postar um comentário