quinta-feira, 16 de fevereiro de 2012

"Brasil traído: Sivam, lítio e nióbio"

 

Publicado em 07/02/2012 pelo(a) Wiki Repórter Cesar, São Paulo - SP

Lula, que entregou nossas ricas jazidas na Raposa Serra do Sol e Yanomani, com Evo Morales, logo após esse humilhar Lula e o povo brasileiro, pela invasão de nossas refinarias na Bolívia. Evo, pelo menos não é covarde, e protege suas ricas jazidas de Lítio, da total exploração pelos países do G8, apesar de ser, como Lula, um preguiçoso com desculpa ideológica, ou seja, um socialista. - Foto: web
Recentemente um avião espião dos EUA, que traçava linhas na Amazônia Brasileira, não foi identificado a tempo pelo SIVAM (Sistema de Vigilância da Amazônia) e desapareceu. 

Claro, nossos militares sabem que os sinais do SIVAM são captados primeiramente em Porto Rico, território dos EUA. Um arranjo feito secretamente pelos norte-americanos. Sim, afinal, foram eles próprios que instalaram o SIVAM, ao contrário do que queriam os militares brasileiros.

Não bastasse Lula e FHC terem entregue ao G8 nossas maiores jazidas de Nióbio, Itrio, Ouro e Manganês, disfarçadas em “reservas indígenas”, por acordos secretos inconfessáveis, e por não termos força nuclear para dissuadir uma acão militar estrangeira de usurpação de riquezas na Amazônia, a exemplo do Iraque, Líbia e Afeganistão; agora, segundo o serviço de inteligência de nossas FFAA, revelou-se que nessas “reservas indigenas”, intocáveis agora pelo povo brasileiro, encontram-se enormes reservas de Lítio, o metal alcalino e principal componente para toda espécie de baterias que suprem toda a tecnologia eletro-eletrônica e militar modernas.

O Litioe o Nióbio são extremamente estratégicos, sendo o Nióbio, monopólio do Brasil. Só a jazida de Nióbio de São Gabriel da Cachoeira (AM), é maior que todas as jazidas atualmente exploradas por estrangeiros no Brasil. 

Sim, agora por estrangeiros. Todas as ONGs estangeiras em parceria com petistas desses últimos governos, fomentam reservas indigenas onde estão as maiores riquezas minerais, patrimonio das futuras gerações de brasileiros. A desculpa: “Protegerem a floresta” ou os “Povos da floresta”, e isso com o apoio do primeiro escalão de Brasília. Só não contam que são financiados pelos EUA, Inglaterra, Holanda e França.

Ora, se formos falar em traidores, tivemos dois Presidentes da República (Collor e FHC) que trairam o programa nuclear militar brasileiro, delatando-o ao mundo. O qual nos garantiria soberania real sobre nosso território. O que não temos hoje, de fato. 

Imaginem o que aconteceria a esses traidores, se fizessem o mesmo nos EUA ou na Inglaterra? Pela lei desses países, a pena de morte é aplicada. Mas aqui, os traidores são reeleitos...

O plano em andamento do G8 para o Brasil, é o de tranformar parte de nosso território em área internacional de exploração de riquezas, destruindo-nos como Nação. 

Funai, Ibama, Governo Federal e as ONGs financiadas, trabalham para isso, contra o povo brasileiro e nossas FFAA.

Nosso desarmamento civil e militar faz parte desse plano para os próximos 20 anos. A destruição da moral familiar e cristã, a apologia ao homossexualismo, às drogas, à covardia cidadã, e o relativismo moral em curso nas mídias de comunicação no Brasil, também são parte desse plano orquestrado nos governos do G8.

Se não há soberania, não há Nação. O Brasil hoje é a 6º economia mundial, mas é menos armado que uma Venezuela.

Só denunciando o Tratado de Tlatelolco, e efetuando testes nucleares pacíficos, nos colocará perante ao mundo como potência real e respeitável, e não como a colônia que a qualquer momento pode vir a ser repartida ou diminuida em seu território. 

E farão isso se não nos equiparmos devidamente.

Nenhum comentário:

Postar um comentário