domingo, 8 de dezembro de 2013

FOI APROVADA NA POLÔNIA UMA LEI QUE IGUALA OS SÍMBOLOS DO COMUNISMO AO NAZISMO

 



A Europa tem condenando o regime comunista, mas nenhum dos países tem ido tão longe como Polônia, onde foi assinada a lei que permite que as pessoas a sejam multadas ou presas por manterem e comprarem símbolos comunistas .
Vinte anos após a queda do comunismo na Europa Oriental , o governo polonês está prestes a apagar completamente as memórias do passado da Guerra Fria e fazer tudo a partir da foice e do martelo, e bandeira vermelha para camisetas e cartazes ilegais como a moda de Che Guevara .
Na sexta-feira , o presidente Lech Kaczynski aprovou uma emenda ao código penal que proíbe a produção, a posse , divulgação e venda de itens ou gravações que contenham símbolos do comunismo quem desobedece à lei - . , Por exemplo , as ondas de uma bandeira vermelha cantando A Internacional no centro de Varsóvia - pode ser multado ou até mesmo enviado para a prisão por até dois anos.
No entanto, os atributos comunistas ainda podem ser usados para artística , de investigação e de ensino. Coletores não será punido também.
A lei foi apresentado pela Lei de oposição e do Partido da Justiça e foi aprovada pelo parlamento polonês no início de novembro .
"O comunismo foi um sistema GENOCIDA que levou ao assassinato de dezenas de milhões de pessoas", Jaroslaw Kaczynski - irmão gêmeo do presidente e do líder do partido - . Disse que naquela época " Nenhum símbolo do comunismo tem o direito de existir na Polônia, porque estes são símbolos de um sistema genocida que deve ser comparado com o nazismo alemão. "
A lei também proíbe a exibição de símbolos nazistas , o que é bastante comum para muitos países europeus, incluindo a Alemanha . É a ilegalização dos símbolos comunistas que fazem com que a iniciativa polaca incomum.
Enquanto os deputados de esquerda e alguns outros argumentaram que a lei é mal definida , a maioria da população é provável que assistamos a União Soviética como um dos piores males do século passado.
"É apenas uma coisa boba ", Tadeusz Iwinski , um parlamentar do Partido Social Democrata Polonês de esquerda que se opõe à mudança, como citado pelo Spiegel Online. " O que significa ' símbolo ' ? Isso significa que , quando funcionários do governo vão a China e tiraram fotos sob a bandeira do Partido Comunista eles estão quebrando a lei? "
Enquanto isso, os políticos de direita também estão pressionando por uma legislação renomear ruas e prédios sem os nomes de comunistas .
No início deste mês, o ministro das Relações Exteriores polonês Radoslaw Sikorski sugeriu o Palácio da Cultura e Ciência - um arranha-céu em Varsóvia, que foi doado para os poloneses por Joseph Stalin - . Deve ser demolida, ele disse que deve tornar-se " O equivalente polonês da queda do Muro de Berlim .. " Não faz o movimento olhar puramente ideológica , o ministro disse que o prédio era caro para manter e era um desperdício de energia na verdade, o palácio, construído em 1955 , é realmente enorme : mais de 230 metros de altura.
Mesmo agora, quando a URSS não existe mais , muitos dos países vizinhos da Rússia no Leste Europeu ainda tem preocupações. De acordo com um relatório publicado no início deste mês pelo Pew Research Center, o maior percentual dos que veem a influência da Rússia como negativo é, entre o pólos - 59%.
A pesquisa disse que a maioria dos poloneses estão satisfeitos com a forma como a democracia está trabalhando em seu país, e quase metade deles tem certeza de que a situação econômica é melhor do que em comparação com os tempos comunistas.
Polônia não foi a pioneira na idéia de proibir símbolos comunistas .
O clima anti- comunista é especialmente forte nos Estados Bálticos , que tendem a ver a era soviética como " uma ocupação" , alegando que a URSS anexou Letónia, Lituânia e Estónia em 1940. Moscou insiste que as três repúblicas foram liberadas da Alemanha nazista e , em seguida, juntou-se voluntariamente da União Soviética.
Até agora , a lei mais dura do espaço pós- URSS foi aprovada pelo parlamento lituano. No ano passado, os legisladores do país aprovaram a legislação para proibir a exibição de símbolos nazistas e soviéticos , como a suástica e a foice e o martelo .
Em julho de 2009 , a Assembleia Parlamentar da OSCE realizada uma resolução controversa - apresentado pela Lituânia e Eslovénia - que iguala o regime nazista com o stalinismo soviético.
Liderança pró-ocidental da Ucrânia parece ainda estar no cruzamento decidir quem exatamente para condenar ou apoiar . Em 2008, o presidente Viktor Yushchenko anunciou seus planos de introduzir uma legislação que proíbe símbolos comunistas . A intenção , no entanto, não vai longe . Partido Comunista tem um monte de torcedores no país e proibindo seus símbolos levaria a confrontos , no mínimo .
Em 27 de novembro , um monumento a Lenin foi inaugurado em Kiev depois de ser restaurado.
Ao mesmo tempo , o país tem vindo a assistir a uma onda de nacionalismo ultimamente e aqueles que costumavam ser vistos como inimigos da URSS estão agora glorificado e considerados heróis na Ucrânia.
Na segunda-feira , o julgamento de John Demjanjuk - também conhecido como " Ivan , o Terrível " - . Começou em Munique com 89 anos, ele é acusado de ser cúmplice do assassinato de milhares de judeus em um campo de extermínio nazista durante a Segunda Guerra Mundial guerra, no entanto, em sua casa de campo na Ucrânia, ele é visto como vítima por algumas pessoas , que dizem que o caso foi fabricado.
Enquanto isso, Moldova pode juntar-se aos países da Cortina de Ferro na proibição atributos comunistas. Em 20 de novembro , essa iniciativa foi dublada por parlamentares e membros do Partido Democrático Oleg Serebryan . Segundo a agência Regnum , o MP acrescentou que o Partido Comunista não deve ser proibida, mas a sua influência na sociedade deve ser reduzida .
Fonte:
http://rt.com/politics/poland-bans-communist-symbols/
Assista este documentário que mostra bem o que o próprio governo populista e socialista de stalin, fez com o povo Ucraniano e Polonês.

 

"QUEM DESCONHECE A HISTÓRIA É APENAS UM IGNORANTE, MAS AQUELE QUE A CONHECE E DIZ QUE É MENTIRA, ESTE É UM CRIMINOSO" (Bertold Brecht)

http://brunotoscano.blogspot.com.br/2013/11/foi-aprovada-na-polonia-uma-lei-que.html

Julius Malema, líder juvenil sul-africano: "Matem os brancos!"

 
NÃO ESTRANHEM, POIS O MANDELA ERA TAL E QUAL A ESSE JOVEM, É SÓ BUSCAR NA HISTÓRIA QUE VERÁS.

Durante o ano passado o líder juvenil Julius Malema disse aos seus seguidores que as terras do homem branco têm que ser partilhadas por todos os africanos negros. Para além disso, ele foi preso por tocar a música “Kill the Boer (homem branco)” nos seus comícios.
Julius Malema disse aos seus seguidores que os lavradores brancos tem que ser tratados como criminosos por roubarem as terras dos negros.

Segundo o The Telegraph, o instigador de genocídio Julius Malema defende que as tentativas governamentais de transferir as terras para as mãos dos negros através de negociações com os brancos falharam, e como tal, Malema apela a confiscações semelhantes às levadas a cabo pelo ditador socialista Robert Mugabe.
A pergunta que se impõe é: porque carga de água as terras tem que ser transferidas para as mãos dos negros?Pior, porque é que o Estado tem que levar a cabo essa manobra? Ou o homem branco está proibido de possuir terras em África? Se é assim, pode-se dizer o mesmo dos negros na Europa e nos outros países de maioria branca? Ou só é racismo quando é feito pelo homem branco?
Julius Malema demonstra qual é a ideologia política que o inspira:
Temos que tomar as terras sem pagar por elas porque os brancos tomaram as terras sem pagar por elas.
Eu não sei em que mundo o Malema vive, mas a isso chama-se "consequências de guerra". Se um país faz guerra com outro e perde, o país vencedor fica com os espólios. Todas as tribos africanas sabem e operam segundo esse princípio, mas Malema aparentemente não aprendeu História.
O sistema de venda voluntária, compra voluntária falhou.
Portanto, como o normal sistema económico falhou (e os negros não possuem capacidade económica e vontade de rentabilizar as terras), Malema apela ao sistema económico que tanto sucesso tem tido nos últimos 100: o colectivismo.
Estamos todos de acordo que eles roubaram a terra. Eles são criminosos e como tal tem que ser tratados como tal.
Portanto, um homem branco que seja o descendente de uma família que se mudou para a África do Sul no século 18 é um "criminoso" porque ele possui um pedaço de terra em África.
Qualquer pessoa que veja as acções de Malema rapidamente se apercebe que a sua preocupação não é o bem estar do homem negro, mas sim a imposição do socialismo. Podemos vêr que a sua preocupação é o socialismo pelo simples facto dele tentar levar a cabo medidas que arruinaram o Zimbabwe:
Rodésia, o predecessor do Zimbábue, era um país razoavelmente abastado conhecido como o "Celeiro de África". Foi então que a justiça social chegou e as quintas foram confiscadas. O homem branco foi removido do poder abruptamente e as suas possessões agrícolas nacionalizadas.
Hoje em dia o país sofre de falta de alimentos e desemprego na ordem dos 95%, para além duma uma taxa de inflação envolvendo números demasiado grandes para se compreender. No entanto, o ditador socialista vive bem, muito graças à ajuda internacional que recebe dos mesmos "bem-feitores" que pressionaram a Rodésia a mergulhar no seu caixão.
As palavras de Malema mostram que ele é um servo fiel de Karl Marx e companhia. Mas como é que um líder africano continua a associar-se a uma ideologia tão destrutiva como o socialismo? A História responde. Depois da Segunda Grande Guerra, os comunistas soviéticos voltaram a sua atenção para África e "educaram" gerações de líderes africanos em favor da revolução violenta. O que nós vêmos agora são o fruto de indoutrinação que perdura há gerações.
Nunca nos podemos esquecer dos propósitos de Lenine e Gramsci no intuito de causar caos social em todo o mundo de modo a que as pessoas implorem pelo totalitarismo socialista como forma de "restaurar a ordem".
Malema não quer trazer bem estar aos negros mas sim colocar os recursos económicos nas mãos de uma elite não representativa dos desejos do povo.







DELEGADO TUMA JUNIOR REVELA: LUIZ INÁCIO LULA DA SILVA, CODINOME 'BARBA', INFORMANTE DO DOPS.

 

As denúncias contidas no livro "Assassinato de reputações: um crime de Estado", de autoria do delegado da polícia paulista Romeu Tuma Junior, que chega às livrarias a partir desta segunda-feira, explicam por si só, as razões do silêncio da grande imprensa brasileira sobre o assunto. Exceção da revista Veja.

Os jornalistas e colunistas da Folha de S. Paulo, Estadão e Rede Globo, para citar os veículos de maior impacto e abrangência, simplesmente se fecharam em copas. É possível que a partir de suas edições deste domingo trarão algo a respeito, já que foram furados de forma fenomenal por uma revista semanal. É que com o advento do lulismo o dia no Brasil passou a durar uma semana, isto é, vai de sábado a sábado, dia em que a revista chega às bancas.

E este fato corrobora tudo, sem faltar nada, do que venho afirmando aqui no blog em textos que aponto que o controle da mídia, postulado pelo PT, refere-se apenas e somente à revista Veja. O resto já está controlado pelos “jornalistas” esbirros de Lula, ou "Barba", que cumprem missão do “partido”, ou seja, o PT e do Foro de São Paulo organizações que integram o movimento comunista internacional.

Esses trastes comunistas, muitas vezes acumpliciados com os donos dos veículos sequiosos pelos carminguás que são ofefrecidos pelo governo petista, são criminosos, porquanto escamoteiam informações do público leitor, deformam os fatos, mentem sistematicamente e transformaram os veículos da grande imprensa brasileira - exceção de Veja -, em veículos de propaganda do governo de Lula e seus sequazes.

Este blog está longe da sede dos veículos da grande imprensa brasileira, está fora do eixo São Paulo-Rio-Brasília e também não está alojado em nenhum grande portal noticioso. Este é um blog completamente independente, portanto não pretende competir com os grandes veículos de comunicação nacionais. E nem poderia pois não dispõe da estrutura extraordinária que esses jornais e redes de televisão possui.

O foco do blog está portanto mais dirigido a análises e comentários, bem como o clipping das principais notícias veiculadas pela mídia nacional e internacional, procurando fornecer aos leitores elementos com os quais possam formar uma opinião sobre os fatos sem o filtro comunista dos grandes veículos de mídia.

Assim, louvo-me mais uma vez no site da própria revista Veja, mais precisamente o blog do jornalista Reinaldo Azevedo, para concluir estas linhas com uma informação contida no livro de Tuma Junior e que também está na entrevista que o delegado paulista concedeu à Veja que está nas bancas. Quem não é assinante, deve correr logo e comprar  o seu exemplar, já que esta reportagem sobre o livro de Tuma Junior pode ser a matéria jornalística do ano de 2013 e que deverá adentrar 2014, quando acontecerá a eleição presidencial. É claro que o desdobramento das denúncias dependerá, em grande medida, da ação dos dois principais candidatos da oposição: Aécio Neves e Eduardo Campos.

A informação que me refiro e que está no blog de Reinaldo Azevedo, revela uma faceta incrível de Lula, a metaformose ambulante, o doutor honoris causa. Lula era um alcagueta do regime militar. Coisa típica de comunista. Anos depois Lula manda desenterrar a ossada de Jango Goulart e implantar a Comissão da Verdade. Sem falar no mensalão que pretendia, mais do que nada, golpear as instituições democráticas de morte abrindo caminho para a instalação de um república comunista do século XXI, como existe por exemplo na Venezuela.

Por aí se pode aquilatar o nível moral e ético de Lula, o doutor honoris causa. Até esse título honorífico Lula e seus sequazes conseguiram estraçalhar. Leiam o que informa o blog do Reinaldo, reproduzindo parte da entrevista de Tuma Junior:

O senhor afirma no livro que o ex-presidente Lula foi informante da ditadura. É uma acusação muito grave.
Não considero uma acusação. Quero deixar isso bem claro. 0 que conto no livro é o que vivi no Dops. Eu era investigador subordinado ao meu pai e vivi tudo isso. Eu e o Lula vivemos juntos esse momento. Ninguém me contou. Eu vi o Lula dormir no sofá da sala do meu pai. Presenciei tudo. Conto esses fatos agora até para demonstrar que a confiança que o presidente tinha em mim no governo, quando me nomeou secretário nacional de Justiça. não vinha do nada. Era de muito tempo. 0 Lula era informante do meu pai no Dops (veja o quadro ao lado).


O senhor tem provas disso?
Não excluo a possibilidade de algum relatório do Dops da época registrar informações atribuídas a um certo informante de codinome Barba.Clique AQUI para ler MAIS no blog do Reinaldo Azevedo

GRANDE MÍDIA IGNORA AS DENÚNCIAS DO "LIVRO-BOMBA". CASO ESTOURA NESTA SEGUNDA-FEIRA NO CONGRESSO NACIONAL.

Delegado Tuma Junior deverá ser ouvido no Congresso Nacional

Pelo que vi neste domingo, a grande imprensa brasileira continua rendendo homenagens ao falecido Nelson Mandela e publicando abobrinhas que não têm o mínimo interesse jornalístico. Em compensação ignora solenemente as denúncias muitos graves formuladas pelo ex-Secretário Geral de Justiça do governo Lula, delegado Romeu Tuma Junior, em seu livro "Assassinato de reputações: um crime de Estado" e que foi objeto de reportagem-especial da revista Veja desta semana, conforme se pode conferir em posts abaixo deste.

Amanhã, segunda-feira, a semana começa quente no Congresso Nacional quando líderes oposicionistas deverão protocolar pedidos para que o delegado Tuma Junior compareça ao Congresso para ser ouvido. Assim, os grandes jornais e redes de televisão não terão como fugir da raia, embora reste provado o que tenho afirmando reiteradamente aqui neste blog: as redações da grande mídia são controladas totalmente pelo “jornalismo companheiro”, isto é, gente que cumpre missão do Foro de São Paulo. Deve-se acrescentar que os donos dos grandes veículos de comunicação fazem conveniente vistas grossas de olho nos caraminguás oficiais.

Salva-se apenas a revista Veja que já revelou a movimentação de parlamentares que desejam ouvir de viva voz no Congresso Nacional o autor do “livro-bomba”, conforme se pode verificar nesta matéria:

O líder do DEM na Câmara, Ronaldo Caiado (GO), quer que Romeu Tuma Júnior, ex-secretário nacional de Justiça, fale à Câmara sobre as revelações feitas por ele em livro que chega às livrarias nesta semana e publicadas em primeira mão pela edição de VEJA que está nas bancas.

Entre outras informações, Tuma Júnior afirma ter descoberto a existência de uma conta, nas Ilhas Cayman, utilizada para movimentar recursos do mensalão. Ele também dá detalhes do caso Celso Daniel e do uso da máquina do governo para a montagem de dossiês contra adversários durante o governo Lula.

Nesta segunda-feira, Caiado vai apresentar um requerimento convidando Tuma Júnior a comparecer à Comissão de Fiscalização Financeira e Controle da Câmara para levar os documentos que possui. Como não ocupa mais cargo público, o ex-secretário nacional de Justiça não é obrigado a comparecer.

"Vou ter de contar com a boa-vontade dele", afirma o líder do DEM. Caiado também cogita levar um grupo de parlamentares para um encontro a portas fechadas com Romeu Tuma Júnior, caso a proposta de uma audiência pública não seja aceita.

O deputado também afirma que uma alternativa seria cobrar informações diretamente das autoridades envolvidas nos episódios. No caso das Ilhas Cayman, Caiado estuda propor a criação de uma comissão para visitar o paraíso fiscal e obter informações sobre a conta revelada pelo ex-secretário.

Mas o líder do DEM reconhece que o depoimento de Tuma Júnior seria essencial: "Esse é o principal, porque ele mostraria o caminho das pedras", diz o parlamentar. Do site da revista Veja

Revista Época revela a Dilma Rousseff que os brasileiros não conhecem

 


Ao contrário do que ela afirma, nunca foi torturada.Foi a pioneira na delação premiada. Entregou companheiros de guerrilha para reduzir a sua pena e não correr o risco de receber um interrogatório mais duro. Sabem qual foi o acordo? Você entrega, fica com o dinheiro do cofre e alega que confessou sob tortura. Fica protegida contra os camaradas. Permanece aqui, sob proteção, colaborando com informações. O único que ainda pode testemunhar, com um certo medo, é Natael Custódio Barbosa, que "fantasia" a sua prisão, por motivos óbvios: "Era uma companheira muito séria e dedicada, que acreditava no que estava fazendo." Hoje ele mora em Londrina, no Paraná. Segundo narra o companheiro, em matéria já publicada anteriormente, no final de janeiro de l970, Barbosa foi ao encontro que haviam marcado, às cinco da tarde, na movimentada rua 12 de Outubro, na Lapa. Ele vinha numa calçada, do lado oposto e em sentido contrário ao que ela deveria vir. Quando a viu, de braços cruzados, atravessou a rua, passou por ela sem dizer nada, andou uns vinte passos e, sem desconfiar de nada, voltou. "Voltei, encostei do lado dela e perguntei se estava tudo bem", contou Barbosa, emocionadíssimo." Ela fez cara de desespero e eles caíram imediatamente em cima de mim já me batendo, dando coronhadas e me levando para o camburão, e depois pra o Oban." E prosseguiu: "Nunca mais a vi. Ela me entregou porque foi muito torturada, e eu entendo isso. Acho que me escolheu porque eu era da base operária, não conhecia liderança nenhuma da organização e não tinha como aumentar o prejuízo".
.................................................................................
Leia a íntegra da matéria da Revista Época:
Em outubro de 1968, o Serviço Nacional de Informações (SNI) produziu um documento de 140 páginas sobre o estado da “guerra revolucionária no país”. Quatro anos após o golpe que instalou a ditadura militar no Brasil, grupos de esquerda promoviam ações armadas contra o regime. O relatório lista assaltos a bancos, atentados e mortes. Em Minas Gerais, o SNI se preocupava com um grupo dissidente da organização chamada Polop (Política Operária). O texto afirma que reuniões do grupo ocorriam em um apartamento na Rua João Pinheiro, 82, em Belo Horizonte, onde vivia Cláudio Galeno Linhares. Entre os militantes aparece Dilma Vana Rousseff Linhares, descrita como “esposa de Cláudio Galeno de Magalhães Linhares (‘Lobato’). É estudante da Faculdade de Ciências Econômicas e seus antecedentes estão sendo levantados”. Dilma e a máquina repressiva da ditadura começavam a se conhecer.
Durante os cinco anos em que essa máquina funcionou com maior intensidade, de 1967 a 1972, a militante Dilma Vana Rousseff (ou Estela, ou Wanda, ou Luiza, ou Marina, ou Maria Lúcia) viveu mais experiências do que a maioria das pessoas terá em toda a vida. Ela se casou duas vezes, militou em duas organizações clandestinas que defendiam e praticavam a luta armada, mudou de casa frequentemente para fugir da perseguição da polícia e do Exército, esteve em São Paulo, Minas Gerais, Rio de Janeiro e Rio Grande do Sul, adotou cinco nomes falsos, usou documentos falsos, manteve encontros secretos dignos de filmes de espionagem, transportou armas e dinheiro obtido em assaltos, aprendeu a atirar, deu aulas de marxismo, participou de discussões ideológicas trancada por dias a fio em “aparelhos”, foi presa, torturada, processada e encarou 28 meses de cadeia.
Hoje candidata do PT à Presidência da República, Dilma fala pouco sobre esse período. ÉPOCA pediu, em várias ocasiões nos últimos meses, uma entrevista a Dilma para esclarecer as dúvidas que ainda existem sobre o assunto (leia algumas delas no quadro da última página). Todos os pedidos foram negados. Na última sexta-feira, a assessoria de imprensa da campanha de Dilma enviou uma nota à revista em que diz que “a candidata do PT nunca participou de ação armada”. “Dilma não participou, não foi interrogada sobre o assunto e sequer denunciada por participação em qualquer ação armada, não sendo nem julgada e nem condenada por isso. Dilma foi presa, torturada e condenada a dois anos e um mês de prisão pela Lei de Segurança Nacional, por ‘subversão’, numa época em que fazer oposição aos governos militares era ser ‘subversivo’”, diz a nota.
Dilma foi denunciada por chefiar greves e assessorar assaltos a banco
A trajetória de Dilma na luta contra a ditadura pode ser conhecida pela leitura de mais de 5 mil páginas de três processos penais conduzidos pelo Superior Tribunal Militar nas décadas de 1960 e 1970. Eles estão no acervo do projeto Brasil: Nunca Mais, à disposição na sala Marco Aurélio Garcia (homenagem ao assessor internacional da Presidência) no arquivo Edgard Leuenroth, que funciona em um prédio no campus da Universidade de Campinas, em São Paulo, e em outros arquivos oficiais. A leitura de relatórios, depoimentos e recursos burocráticos permite conhecer um período da vida de uma pessoa que mergulhou no ritmo alucinante de um tempo intenso. O contexto internacional dos anos 1960, de um mundo dividido entre direita e esquerda, em blocos de países capitalistas e comunistas, propiciava opções radicais. O golpe militar de 1964 instaurou no Brasil um regime ditatorial que sufocou as liberdades no país e reprimiu oposições. Milhares de pessoas foram presas por se opor ao regime, centenas foram assassinadas após sessões de tortura promovidas por uma horda de agentes públicos mantidos ocultos ou fugiram para o exílio para escapar da repressão.
Dilma Rousseff foi um desses jovens marxistas que, influenciados pelo sucesso da revolução em Cuba liderada por Fidel Castro nos anos 50, se engajaram em organizações de luta armada com a convicção de que derrubariam a ditadura e instaurariam um regime socialista no Brasil. Dilma está entre os sobreviventes da guerra travada entre o regime militar e essas organizações. Filha de um búlgaro e uma brasileira, estudante do tradicional colégio Sion, de Belo Horizonte, a vida de classe média alta de Dilma mudou a partir do casamento com o jornalista Cláudio Galeno Magalhães Linhares, em 1967. “(Dilma) Ingressou nas atividades subversivas em 1967, levada por Galeno Magalhães Linhares, então seu noivo”, afirma um relatório de 1970 da 1a Auditoria Militar. As primeiras menções a Dilma em documentos oficiais a citam como integrante de uma dissidência da Polop. Esse grupo adotou o nome de Organização. Com novas adesões de militantes que abandonaram o Movimento Nacionalista Revolucionário (MNR), a Organização se transformou em Colina (Comando de Libertação Nacional). Em seu documento básico, o Colina aderiu às ideias de Régis Debray, autor francês que, inspirado na experiência cubana de Fidel Castro, defendia a propagação de revoluções socialistas a partir de focos guerrilheiros. A doutrina de Debray ficou conhecida como “foquismo”.
Ex-contemporâneos de prisão citam o apartamento de Dilma da Rua João Pinheiro, em Belo Horizonte, como um dos principais pontos de reuniões da organização. Em depoimento prestado no dia 4 de março de 1969, o militante do Colina Ângelo Pezzutti afirma que “encontrou-se (com outro militante) algumas vezes no apartamento 1.001, Condomínio Solar, residência de Galeno e Dilma”. Dilma é citada como responsável por ministrar aulas de marxismo, comandar uma “célula” na universidade para atrair novos militantes para a causa. “Em princípios de 1968, o declarante, por recomendação de Carlos Alberto, coordenou uma célula política, na qual tomaram parte Dilma, estudante de economia, cujo nome de guerra é Estela, Erwin e Oscar (nomes de outros dois militantes)”, diz o depoimento de outro militante, Jorge Raimundo Nahas. “O objetivo principal dessa célula era trabalhar o meio estudantil.” Um dos universitários recrutados foi Fernando Damata Pimentel, de 17 anos. Ex-prefeito de Belo Horizonte, Pimentel é candidato ao Senado pelo PT e é um dos coordenadores da campanha de Dilma.
De acordo com os depoimentos, nas reuniões – muitas realizadas no apartamento de Dilma – o grupo decidia suas ações. Em seu depoimento, Nahas afirmou que parte do Colina, com o decorrer do tempo, passou a acreditar que a organização deveria ter um caráter mais militar. Foram criados setores de “expropriação, levantamento de áreas, sabotagem e inteligência e informações”. “Dilma e Oscar permaneceram no setor estudantil”, diz Nahas. Essa decisão marca um ponto de inflexão na curta história do Colina. O grupo passou a fazer ações armadas. O historiador Jacob Gorender, que esteve preso com Dilma no presídio Tiradentes, em São Paulo, é autor de Combate nas trevas, o mais completo relato da luta armada contra a ditadura militar. Ele afirma que o Colina foi uma das poucas organizações a fazer a “pregação explícita do terrorismo”.
Dilma, Vanda, Estela, Maria Lígia e também uma falsa Marina.



Transcrito do blog do Coronel
Mais sobre Dilma:
ABORTO
Em relação a ser ou não a favor do aborto, Dilma sempre deu declarações a favor da descriminalização total. Para Dilma, abortar é direito da mulher e ponto final. Para ela, um feto é só um monte de carne, cartilagem e tecido, que deve ser sugado para fora e jogado no lixo caso alguém assim deseje. Deu entrevista em abril do ano passado à revista Marie Claire, outra entrevista à Folha de São Paulo em 2007 (ver vídeo abaixo) afirmando categoricamente isso. Ter essa opinião não é crime, é a liberdade que temos em uma democracia de ter nossas opiniões. O problema é que Dilma agora diz que não disse o que está registrado em vários lugares. Na maior cara de pau, fala que SEMPRE foi contra o aborto. Mente, invoca o nome de Cristo em vão, convenientemente se veste agora de batas que lembram as de um batizado, mostra o neto em batismo na igreja católica e se diz Cristã de carteirinha. Tudo balela! O PT tem em seu programa a defesa do aborto livre e legalizado.
Dilma pertenceu a organizações de extrema-esquerda que praticaram crimes como assassinato, sequestro, roubo e atentados terroristas com bombas nos anos 1970. Essas organizações todas eram descrentes de Deus, atéias e pregavam o materialismo. Dilma não tem uma mísera fotografia no seu passado em que esteve em uma igreja, em uma cerimômia Cristã. Aliás, Dilma esconde totalmente seu passado, mostrando ela criança e depois ela já em carguinhos mequetrefes no Rio Grande do Sul nos anos 90. Fotos de formatura, de festinhas de aniversário com os filhos, de casamentos familiares? Nada disso existe. Um apagão na biografia, um mistério.
Essa mulher com várias faces, com um apagão conveniente em sua história de vida, com várias demonstrações de falta de caráter é quem quer ser presidente do Brasil. Uma pessoa que mentiu descaradamente sobre um doutorado e um mestrado que nunca fez, que mente todo dia contando números de obras que não existem de fato, que mente sobre suas convicções. Por isso esse blog tem o nome que tem. Dilmente! Mentiu, mente e sempre mentirá, pois esse é um traço marcante do caráter dessa pessoa, e nem é o pior deles.
PRISÃO
Dilma foi presa durante a ditadura militar, nos anos 1970. Isso em si não desabona ninguém, pois muitos foram presos e torturados. A diferença é que enquanto muitos foram presos apenas por divergir dos milicos, por fazer pregações a favor da democracia e dos direitos humanos, Dilma foi presa por ser militante de organizações terroristas.
Na época da ditadura, os democratas de verdade se posicionaram contra fazendo pesseatas, discursos, escrevendo matérias e livros, peitando judicialmente, fazendo pressão junto a opinião pública. Os terroristas partiram para a guerra com armas, bombas e ataques que mataram gente inocente, que nada tinham com o peixe, apenas estavam na hora errada e no lugar errado quando os ataques aconteciam. Dilma e sua gang de guerrilheiros não lutaram contra a ditadura, mas contra o Brasil. Queriam tirar do poder os militares à força, para também à força implantarem uma ditadura comunista ou socialista, nos moldes do que existe em Cuba e existia na extinta União Soviética. Se Dilma e sua gang chegassem a vitória em sua guerrinha particular, implantariam um regime onde quem discordasse iria para o "paredón", seria fuzilado. Imprensa, eleições, liberdades individuais, liberdade religiosa seriam uma utopia e um sonho em um regime Dilmista.
Muita gente entrou nessa guerra, com esses mesmos objetivos. Gente que hoje se auto-penitencia, pede desculpas, sente até vergonha. Dilma não, NUNCA ela se posicionou claramente contra o que no passado infelizmente pregou e fez. Nunca se arrependeu. Pelo contrário, se acha uma heroína e tem a cara de pau de pedir indenização ao governo - que será paga por todos nós - por ter sido presa e torturada. Ela convenientemente não lembra que seu grupo guerrilheiro, na época, também torturava quem eles sequestravam ou prendiam. Onde está o arrependimento de um dia ter lutado por uma ditadura? Não tem.

 

sábado, 16 de novembro de 2013

CORRUPÇÃO, SEQUESTRO, TORTURA E MORTE!


Os irmãos de Celso Daniel responsabilizam o ministro Carvalho e o PT pela morte do petista. Afirmam que o crime foi político e causado por um sombrio esquema de desvios de recursos de prefeituras para financiamento de campanhas eleitorais. Para a família do prefeito assassinado, Celso Daniel havia descoberto o esquema de desvio de recursos e estava disposto a denunciá-lo. Essa teria sido a razão de sua morte.

Sombra, o ex-secretário da prefeitura Klinger Luiz Oliveira Souza e o empresário Ronan Maria Pinto são investigados por suposto esquema de cobrança de propina em Santo André. O MP afirma que Sombra decidiu matar o prefeito após Celso Daniel descobrir o esquema montado pelo grupo. O ex-segurança e Celso Daniel tinham saído de uma churrascaria nos Jardins, em São Paulo, numa Mitsubishi Pajero, quando foram perseguidos e cercados pelos criminosos que estavam em três carros, na zona sul da cidade. O prefeito foi retirado do veículo. O corpo apareceu três dias depois, com marcas de tortura e tiros, numa estrada próxima à Rodovia Régis Bittencourt.

NÃO VAMOS NOS ESQUECER DE QUE 14 TESTEMUNHAS DO CASO “CELSO DANIEL” FORAM MORTOS, EU FALEI 14, ISSO É COISA DE UMA FACÇÃO CRIMINOSA BEM ORGANIZADA.

Outro caso com características de crime de mando que teve versões conflitantes é a morte de Antonio da Costa Santos, o Toninho do PT, prefeito de Campinas, em 2001. A polícia afirma que ele foi morto num assalto. A família e os amigos rejeitam a versão. O assassinato de Toninho tem contornos de crime político pela sequência de mortes. Numa operação frustrada para prender supostos matadores de Toninho, foram mortos numa operação policial em Caraguatatuba, ainda em 2001, QUATRO SUSPEITOS.

Em razão das divergências acentuadas entre as versões da polícia e do MP, as mortes de Celso Daniel e Toninho do PT não estão na lista de assassinatos políticos a mando da quadrilha Petista!


Que tal reabrir esses casos? Com a palavra o Ministério Público!


Fontes: Estadão (SP) e Revista Veja.

quinta-feira, 7 de novembro de 2013

PT CRIA PROGRAMA “ESCRAVOS SEM FRONTEIRAS”

1466240_1405085163062235_1938609299_n

DEMOCRACIA HACKEADA - Como o PT fraudou as eleições 2010

É importante que se diga que Marcelo Branco e Lula conhecem-se desde 1985.

Lula e Marcelo Branco em 1985. A foto está no orkut de Marcelo Branco

Para o bom entendimento de tudo o que aconteceu é fundamental a leitura dos posts abaixo que estão no Blog de Marcelo Branco e foram escritos por ele.

Marcelo Branco - Marcelo D'Elia Branco, nasceu em Porto Alegre a 23 de abril de 1961. Ele foi coordenador do projeto Software Livre Brasil, através do qual também coordenou o Fórum Internacional de Software Livre. Também foi diretor do Campus Party Brasil por três anos. Deixou estas duas funções para se dedicar à coordenação de campanha nas redes sociais da candidata Dilma Rousseff do PT nas eleições 2010 do Brasil. No twitter @MarceloBranco

O que está entre colchetes foi acrescentado [ ] e também as fotos e os destaques em letras maiores.

Os posts abaixo estão no Blog do Marcelo Branco. Em cada postagem colocarei o link. Se ele não deletar, você poderá conferir.

7 de Novembro de 2005

Já é outra viagem...

Amanhã as 19:00 eu tô deixando esta maravilhosa "cidade-baixa" que é Porto Alegre. Tô indo pra Bilbao http://www.softwarelivre.org/news/4902 participar de um evento e depois, parece, vou pra Tunis - na Tunísia - para algumas atividades profissionais http://www.baguete.com.br/noticia.php?id=5913durante a Cúpula Mundial da Sociedade da Informação

Saio já com saudades...sabem estas coisas de quem está de namorada nova e com uma mudança prevista pros próximos dias. Tudo de bom comigo: enfim uma boa (irrecusável) proposta de trabalho na Europa, meus rabiscos saindo em duas publicações internacionais, linda-namorada-nova e viagens já marcadas para os próximos meses. Mas tudo isso é contraditório e as vezes me assusta. Touro ascendente em touro entra em pânico com mudanças.

Mas vamos lá...deixa a vida me levá!

Valeu Terceiro e galera da ASL que está me inlcuindo digitalmente nesta ferramenta.

Ah! Uma fotinho do museu Guggenheim.

Marcelo Branco

12 de Novembro de 2005

De Bilbao a Tunisia

Em Bilbao foi tudo muito bom. A participação na Cúpula de Bilbao foi muito boa pro software livre que teve destaque positivo, em relação aos outros temas, nos meios de comunicação do dia seguinte. Além disso me reencotrei com meu amigo Sérgio Amadeu [é um sociólogo brasileiro, geralmente lembrado como defensor e divulgador do Software Livre e da Inclusão Digital no Brasil. Foi um dos grandes implementadores dos Telecentros na América Latina e presidente do Instituto Nacional de Tecnologia da Informação. Sérgio Amadeu é doutor em Ciência Política pela Universidade de São Paulo e, atualmente, é professor adjunto da Universidade Federal do ABC (UFABC). @Samadeu http://twitter.com/samadeu ou http://samadeu.blogspot.com/]

Cheguei ontem a Tunis, mas minhas bagagens não chegaram até agora. Estou só com as roupas do corpo. É tudo uma confusão e infra-estrutura precária e @s tunisian@s, mesmo que muito amáveis, estão muito enrolados com a organização do evento. É quase um caos. Falam quase só em árabe e tá difícel a comunicação...internet precária, obras dos estandes atrazadas, o transporte não funcionou -hoje atrazou mais de 3 horas...e tivemos que pegar um taxi do Hotel até o centro de eventos - 80 dólares...uma porrada.

Estamos, eu e o Giovani Spagnolo [Leia o Perfil dele aqui. No twitter @giovani] do www.partecs.com, num Hotel em Jasmyne-Hammamet uma praia pra burgueses a 70 km de Tunis.

A delegação brasileira que já era pra estar aqui ainda não chegou e o estande do governo ainda nem está pronto.

Daqui a pouco vou voltar pra Hammamet...

Mando outro relato depois quando der...

Da Tunisia

Marcelo

14 de Novembro de 2005

Tunísia: Está começando a Cúpula Mundial da Sociedade da Informação

Por: Marcelo Branco

Amanhã (15), começa aqui em Túnis, a segunda fase da Cúpula Mundial da Sociedade da Informação.

Eu cheguei na sexta-feira (11) diretamente de Bilbao, onde eu e o Sérgio Amadeu participamos de uma mesa sobre software livre na Cúpula da Cidades e Autoridades Locais. Na chegada tive alguns problemas: minha mala não chegou e os caras falavam somente em árabe no aeroporto.

Depois de muito estresse e tentativas de entender (eles e eu) o que estava acontecendo me levaram para o centro de credenciamento e finalmente depois de algumas horas, num ônibus velho, fui levado até o meu hotel em Hammamet.

Hammamet é um balneário de luxo com hotéis de 4 e 5 estrelas situado a 70 Km de Tunis. No hotel me encontrei com Giovani Spagnolo, um jovem brasileiro que foi meu colega da PROCERGS [http://www.procergs.rs.gov.br/ Cia de Processamento de dados do Est. do Rio Gde do Sul] quando estive como diretor da estatal, e hoje é Diretor de Desenvolvimento de Negócios da ParTecs- uma empresa italiana de software livre especializada numa plataforma de e-democracia. No dia seguinte o transporte previsto do hotel em Hammamet não funcionou: esperamos mais de três horas e nada. Então, não tivemos outra saída senão pegar um taxi até o El Kram - centro de eventos onde estará acontecendo o evento em Túnis. Pagamos 90 dinares (66 dólares)...e fomos mordidos pelo funcionário do hotel que recebeu o valor e repassou apenas 50 dinares para o taxista. Depois de várias horas de estresses conseguimos entrar no centro de eventos e começar instalar o estande da ParTecs? .

Depois fomos até o aeroporto e conseguimos recuperar minha mala que, finalmente, chegou de Barcelona....na hora certa pois estava a dois dias só com a roupa do corpo. Neste meio tempo encontramos parte da delegação brasileira chegando no aeroporto: Rogério Santanna [@santannarogerio Presidente da Telebras] , Sérgio Rosa [Comandou a Previ e Geraldo Santiago classificou a Previ de “fábrica de dossiês” durante a gestão de Rosa. Em 26/08/2010 assumiu a presidência da Brasilprev ] dentre outros.

Domingo de sol: passamos um dia de merecido descanso na praia, piscina e conhecendo Hammamed.

Amanhã começa o trabalho.

Abaixo minha agenda de trabalho prevista até aqui:

15 novembro Debate de Lançamento do Livro Desafios de Palavras.

Dia 15 (terça) as 17:30 Lançamento do Livro "Desafios de Palavras da Sociedade do qual eu participo como co-autor ver mais aqui

Local: Stand "Maison Brésil" do governo do Brasil (no. 1229)

O livro, que está licenciado com a licença livre Creative Commons, pode ser adquirido através do sitio http://cfeditions.com/ ("Enjeux de mots").

Isso acontecerá durante a inauguração do estande do governo do Brasil com uma recepção regada a caipirinha.

Na oportunidade o governo do Brasil distribuirá um CD que contém as principais ações de inclusão digital do governo e a canção de Gilberto Gil Máquina de Ritmo licenciada livremente pela Creative Commons.

Além disso, estará disponível, uma urna eletrônica brasileira, para que os participantes possam votar sobre a "Governaça da Internet" uma das principais polêmicas da Cúpula de Túnis.

Dia 17 Lançamento pelo Ministério de Industria, Turismo y Comércio da Espanha do livro:

"La Sociedad de la Información en el siglo XXI: un requisito para el desarrollo" - Volumen 2. Reflexiones y conocimiento compartido

Hora: 12:00 Local: Sala Le Kef

Eu tenho uma participação como co-autor, abordando a questão do Software Livre no Governo Federal. Está um pouco desatualizada mas "registrada".

Capítulo: Modelos de Software

Comentarios de la Experiencia Brasileña - Marcelo D'Elia Branco "Software Libre en la Administración Pública Brasileña"

O livro pode ser descarregado no endereço: http://www.desarrollosi.org/

Dia 17 - Janta com empresários e ParTecs?

Dia 18 - Apresentação da ParTecs no estande da UNESCO Hora: 12:35 Giovani Spagnolo

18 de Novembro de 2005

Tunis: Caipirinha e Gilberto Gil

Ontem participamos da inauguração do estande do governo brasileiro aqui em Túnis e a noite encontro com Gilberto Gil

A atividade, organizada pela Secretaria Geral da Presidência da República, contou com a participação de Clarice Coppetti [Em 2006 Palocci ameaçou entregar o marido de Copetti, Cezar Alvarez, como o verdadeiro mentor intelectual da quebra do sigilo bancário do caseiro Francenildo. Sub-secretário da Secretaria Geral da Presidência e marido de Clarice Copetti (vice-presidente de Tecnologia da Caixa)]

Clarice Coppetti
(na foto ela está na Campus Party 2009. Marcelo Branco era o diretor)

Vice-presidente de Tecnologia da Caixa Econômica Federal,...do coordenador de Tecnologia do TSE, [Pode ser Eron Júnior Vieira Pessoa: Graduado em Ciências Contábeis. Atualmente é o titular da Seção de Fiscalização da Coordenadoria de Exame de Contas Eleitorais e Partidárias da Secretaria de Controle Interno do TSE Desde as eleições de 2002, integra o Grupo de Estudos de Prestação de Contas Eleitorais das eleições. É Coordenador da Câmara de Tecnologia da Informação da Secretaria de Controle Interno do TSE, membro titular do Grupo de Divulgação das Eleições 201, membro titular do Núcleo de Auditoria Especial do TSE para análise de contas eleitorais e partidárias e membro titular do Laboratório de Tecnologia contra a Lavagem de Dinheiro do Ministério da Justiça. Atuou na análise das prestações de contas de Presidente da República nas Eleições de 2002 e 2006.] representantes do Ministério de Relações Exteriores, da embaixada brasileira em Túnis, da Casa Civil e dezenas de ativistas da sociedade civil planetária.

Na oportunidade foram apresentados os programas de inclusão digital do governo - todos em software livre: Casa Brasil, Computador Conectado e Pontos de Cultura. Também foi demonstrado a urna eletrônica brasileira desenvolvida pelo TSE, mesmo que esteja ainda em tecnologia proprietária, serviu para simular uma votação sobre a governança da Internet :

Você acha que a Internet deva ser governada por um único país?

SIM ou Não

Na inauguração do estande o destaque foi lançamento do livro Desafios de Palavras no qual eu participo como co-autor. Dentre os presentes estavam, Valérie Peugeot e Alaim Ambrosi, coordenadores do trabalho e vários autores do livro. A festa, multi-cultural e multi-lingística, contou com forte participação da sociedade civil em especial da delegação francofônica. Isso por conta da forte identidade das posições assumidas pelos autores com as posições defendidas pelo governo brasileiro nesta Cúpula, salientado pelos discursos dos representantes da sociedade civil presentes. Como não poderia deixar de ser, este momento foi regado com uma boa caipirinha num clima bem brasileiro.

Gilberto Gil no Terceiro Paraíso

A noite participamos de uma atividade organizada pela Hipátia, Ministério da Cultura do Brasil, Cittadellarte Fondazione Pistoletto, Fondazione Orestiadi, Ministro Per L'ínnovazione e Le Tecnologie (Itália), R.A.M radioartemobile e Love Difference num castelo ciberhippie na Medina de Túnis.

A noite intitulada Terceiro Paraíso arte e conhecimento livre, contou com a presença do Ministro da Cultura Gilberto Gil, de Cláudio Prado coordenador de cultura digital doMinC dentre vários representantes das entidades organizadoras.

Na oportunidade entregamos uma cópia do livro (ver foto) Desafios das Palavras ao Ministro Gilberto Gil.

A noite continuou num clima descontraído com músicas tunisianas, bate papo com Gil, comidas e bebidas típicas.

Neste espaço os articuladores dos pontos de cultura montaram uma estrutura para demonstrar este trabalho brasileiro com ferramentas de edição de imagens e áudio todas em software livre. Arrasaram em tudo, mostraram vídeos do Brasil e tudo mais - apesar da banda de Internet com velocidade máxima de apenas 23K para download. No final a galera brasileira dos pontos de cultura puxou uma roda de samba que animou, grag@s e tunisian@s.

18 de Novembro de 2005

Tunis: Richard Stallman e Gilberto Gil Cantam Juntos

Ontem não tivemos novidades importantes aqui no centro de eventos "El Kram". O destaque ficou para a noite no "Terceiro Paraíso : arte e conhecimento livre" . Os articuladores do Ministério da Cultura apresentaram o programa de inclusão digital brasileiro "pontos de cultura" e o criador do movimento software livre, Richard Stallman [Richard Matthew Stallman, frequentemente abreviado para "rms" (Manhattan, 16 de março de 1953) é um famoso hacker, fundador do movimento free software, do projetoGNU, e da Free Software Foundation(FSF) ("Fundação para o Software Livre"). Um aclamado programador, seus maiores feitos incluem Emacs (e o GNU Emacs, mais tarde), o GNU Compiler Collection e o GNU Debugger. É também autor da GNU General Public License (GNU GPL ou GPL), a licença livre mais usada no mundo, que consolidou o conceito de copyleft.], cantou algumas canções acompanhado pelo Ministro da Cultura do Brasil Gilberto Gil . A platéia foi ao delírio!

O "Palais Dar Bach Hamba" é um castelo árabe localizado na Medina de Túnis. Para chegar é bem difícil e fácil de se perder pois as ruas são escuras, estreitas, sinuosas e cheias de becos. Pedir informações, nem pensar: apesar de muito amáveis e descontraidos os tunisianos respondem sempre em grupo falando todos ao mesmo tempo (em árabe ) e quase nunca chegam a um consenso sobre a resposta.

No local estavam as pessoas mais alternativas desta cúpula: hackers, ativistas sociais, produtores de mídia independente, de arte e cultura livre. O que mais me orgulhou como brasileiro, e deixava todos os habitantes planetários surpresos, foi a presença constante andando livremente e descontraido pelas diversas alas do castelo, do Minisro da Cultura do Brasil Gilberto Gil. Sem seguranças e puxa-sacos, Gil, este membro do primeiro escalão do governo do Presidente Lula trabalhou muito, assumindo uma agenda bem apertada, enfrentou vários debates polêmicos cara-a-cara, sem fazer média, propôs ações coletivas importantes e se comportou exemplarmente como deveriam se comportar alguns cargos de confiança de um governo popular que hoje estão deslumbrados pelo podre-pequeno-poder.

Todos nos emocionamos quando os guris do MinC? começaram, juntamente com Cláudio Prado e Gil, apresentar o projeto de inclusão digital do governo brasileiro pontos de cultura. Mesmo com um orçamento escasso, guilhotinado pelo Ministro Palocci, foi possível ver a grande integração deste projeto governamental com a sociedade civil brasileira. Foram passados vídeos, produzidos com software livre, de oficinas realizadas no nordeste brasileiro e em regiões pobres do Brasil. Tudo isso produzido e dirigido pelos próprios incluídos da região. Espero que as torneiras do Ministério da Economia seja mais sensíveis para questões sociais e estratégicas como esta em 2006 e que as empresas estatais passem a ajudar, com grana e estrutura, para que este projeto siga com mais força.

Depois do debate, já com a presença de Richard Stallman, o clima ficou mais descontraido ainda. O hacker criador do movimento software livre, Richard Stallman cantou algumas canções acompanhado pelo Ministro da Cultura do Brasil Gilberto Gil e por um grupo tradicional tunisiano. A platéia foi ao delírio!

Depois joguei uma "capoeirinha angola" com uma amiga brasileira e rolou uma festinha com músicas brasileiras. A noite salvou a monotonia do debate conservador do fórum governamental.

Atividade organizada pela Hipátia, Ministério da Cultura do Brasil, Cittadellarte Fondazione Pistoletto, Fondazione Orestiadi, Ministro Per L'ínnovazione e Le Tecnologie (Itália), R.A.M radioartemobile e Love Difference

Esses são posts do Blog do Marcelo Branco de 2005.
A única coisa que prova é o contato de Marcelo Branco com Gilberto Gil, com o coordenador de Tecnologia do TSE junto com as urnas eletrônicas e um dos hackers mais notórios da história, Richard Stallman.
Agora vamos dar um pulo na história.

2009
Marcelo Branco é o Coordenador do Forum Internacional do Software Livre em junho de 2009. O evento reuniu mais de oito mil pessoas. Dilma Roussef, ainda ministra e o Presidente Lula foram dar uma força para Marcelo Branco que aproveitou para apresentar Lula a Richard Stallmann, famoso hacker, fundador do movimento free software, do projeto GNU, e da Free Software Foundation(FSF) ("Fundação para o Software Livre"). Um aclamado programador, seus maiores feitos incluem Emacs (e o GNU Emacs, mais tarde), o GNU Compiler Collection e o GNU Debugger. É também autor da GNU General Public License (GNU GPL ou GPL), a licença livre mais usada no mundo, que consolidou o conceito de copyleft.

Dilma Rousseff, Marcelo Branco e Lula no Forum Internacional do Software Livre de 2009

Lula, nesse evento, FiSL, foi apresentado para um dos maiores hackers do mundo,Richard Stallman.

Marcelo Branco, o hacker Richard Stallman Lula e Sergio Amadeu

Esse provavelmente foi um dos primeiros contatos de Lula com os hackers, mas não sabemos, pois desde 2005 o TSE tinha contato com Stellman.

Em 2006 Stallman falou das eleições presidenciais do Brasil em Málaga. Está no blog do Marcelo Branco. Acesse aqui.

Mensagem de Richard Stallman sobre as eleições brasileiras.

Se em 2005 a gangue já não estava formada pra que as eleições brasileiras fossem fraudadas, em 2009 os acordos foram acertados. Em 2009 estavam já definidas as eleições presidenciais de 2010. Não importava quem fosse o candidato de Lula ou quem fosse seu opositor. As eleições 2010 teriam uma estrela vencedora: as urnas eletrônicas.

TSE Desafia Hackers a invadirem as urnas eletrônicas

Em setembro de 2009 o TSE convoca os hackers brasileiros a invadirem as urnas eletrônicas. Quem conseguisse levaria um prêmio em dinheiro.

Os hackers não gostaram das regras. Eles não poderiam usar nenhum software pirateado. Os programas "legais" custariam muito dinheiro. Os hackers disseram que era uma farsa do TSE.

Por que o TSE tomou uma atitude dessas? Isso pode ter servido para enganar os eleitores que achariam que as urnas são confiáveis quando na realidade não são. Foi apenas um golpe certeiro no eleitor.

Se vc quer baixar o documento completo clique

Para fraudar uma urna eletrônica tem que se mexer em seus Flash Cards, que são um interno e um externo ou mexer na programação que é colocada na própria fábrica. As urnas eletrônicas brasileiras são fabricadas pela Diebold. Essa empresa só faz sucesso no Brasil. Nas eleições americanas ficou provado que as urnas roubaram votos de Al Gore e também nas eleições legislativas.

Um fato importante é que em 2008 o TSE trocou o software das urnas (leia notícia), que era Windows, por software Livre, especialidades de Richard Stallmann e Marcelo Branco. Será que com software livre ficou mais fácil fraudar?

O Marcelo Branco andou atrás de uma fórmula bem suspeita em um forum especializado em planilhas Excel. Quando você digita o seu voto na urna eletrônica é usada uma planilha eletrônica excel para seu voto ser computado. Pra isso é usada uma fórmula Excel. Aqui neste Forum Excel você encontra Marcelo Branco tirando dúvidas de uma fórmula excel com um dos maiores especialistas do mundo no assunto, Aladin Akyurek. Clique aqui (http://www.mrexcel.com/forum/showthread.php?s=11f3b162691105c97ced652242c1139d&t=498987) para entrar no forum Mr Excel, essa página e a página 2) e aqui (http://nl.linkedin.com/in/aladinakyurek)para ver o curriculum de Aladin Akyurek. Só um especialista pra saber o que realmente significa a fórmula do Marcelo Branco.

Aqui neste outro Forum Excel alguém pede uma planilha que possa ser usada como urna eletrônica.

Aqui temos um vídeo (o segundo da coluna esquerda) que mostra o estudo da Universidade de Princeton nos Estados Unidos sobre as urnas eletrônicas da Diebold. Eles provam que as urnas não são seguras e pode-se introduzir um software malicioso que desvia os votos para o candidato que o programador quiser. E no final das eleições o software malicioso apaga-se sem deixar nenhum vestígio.

Nos Estados Unidos aconteceu hackeamento das eleições entre Bush e Al Gore. Os americanos mexeram-se e proibiram as urnas eletrônicas.

Assistam ao documentário da HBO Hacking Democracy, 3º video à esquerda.

Agora vem uma parte bem interessante e fundamental para coroar de êxito a fraude das urnas.

Em janeiro de 2010 aconteceu a Campus Party Brasil em São Paulo. O diretor da Campus Party era Marcelo Branco. Ele trouxe para o evento grandes nomes internacionais ligados a software livre. Também esteve na Campus Party Scott Goldstein, marqueteiro de Barack Obama e, segundo analistas especializados, o responsável pela vitória de Obama nas eleições americanas. Esse marqueteiro foi contratado por Dilma Rousseff para sua campanha.

Marcelo Branco, Scott Goldstein, marqueteiro de Obama e Dep. André Vargas

Agora o convidado que Marcelo Branco trouxe para a Campus Party 2010 que pode ter tido um papel fundamental para a fraude das urnas, Kevin Mitnick (@kevinmitnick), um hacker americano que ficou preso por cinco anos e hoje é um superstar e faz palestras por todo o mundo e tem uma empresa de segurança nos Estados Unidos.
Ele estava em São Paulo entre os dias 23 de setembro a 2 de outubro de 2010. Ele só tinha um compromisso no dia 30 de setembro no Hyatt Hotel, uma palestra. O que esse amigo tão especial estava fazendo em São Paulo até as vésperas da votação do primeiro turno das eleições presidenciais? Ele postou algumas coisas no twitter. Ele fez compras na FNAC e na Santa Ifigênia, rua de são Paulo que só vende produtos eletrônicos.

Pelo que pude apurar as urnas eletrônicas são programadas para primeiro e segundo turnos de uma só vez. Não existe uma segunda programação. Dilma não ganhou no primeiro turno. Será que o excesso de candidatos (legislativo) impediu que as urnas fossem hackeadas no primeiro turno? Ou será que alguma coisa deu errado e tudo ficou para o segundo turno?

Quer saber algo estranho? Kevin Mitnick esteve em Salvador, Bahia, em 2002. Quem morava lá nessa época? Duda Mendonça?

Marcelo Branco e Kevin Mitnick na Campus Party 2010

Uma outra coisa que chama a atenção foi a quantidade de memórias flashs que os TSEs compraram em todo o Brasil.

Uma coisa todos no mundo sabem e parece que só os brasileiros e venezuelanos não sabem: urnas eletrônicas não são de forma nenhuma seguras. Lula e o TSE blindaram as urnas eletrônicas. Não dá nem pra fazer recontagem de votos. Ela se auto apaga quando expede o resultado.

Nós somos brasileiros ou somos otários e vamos ficar vendo a nossa Democracia ser hackeada sem fazer nada?

quarta-feira, 6 de novembro de 2013

6.000 produtores rurais vão perder suas casas.

Francisco Amado

Confirmado mais 6.000 produtores rurais vão perder suas casas.

A repórter Daniela Castro, do Canal Rural, obteve do Exército e da Funai a confirmação de que a expulsão dos produtores rurais que ocupam área demarcada como Terra Indígena Awá-Guajá teve início. Tropa do Exército já está em São João do Caru, no Maranhão, para dar andamento às ordens de desintrusão de pequenos produtores rurais a pedido da Secretaria Geral da Presidente Dilma Rousseff. Soldados deverão ficar no município até 31 de janeiro.
Entrevista com Daniela Castro


A expulsão dos agricultores deve acontecer da mesma forma como aconteceu na Suiá-Missu, no Mato Grosso. O Exército deve fechar os acesso aos três povoados que existem na área demarcada. Esses bloqueios devem ser armados próximos às pontos para evitar desvios e devem ocorrer, tanto nas estradas que dão acesso a São João do Caru, no Maranhão, quanto nas estradas que dão acesso a Paragominas, no Pará.

A entrada e a saída do perímetro estabelecido pelas barreiras deve ser controlada. A partir de um determinado momento, o Exército só permitirá a saída do perímetro.

Entre o Natal e a virada do ano, o Exército e as forças federais devem entrar na área e retirar na marra todos os que não tiverem saído. A operação entre os feriados é para fugir da atenção da mídia.

As mesmas violações de direitos humanos já reconhecidas pelo Governo na operação da Suiá-Missu devem voltar a acontecer. As 1200 famílias perderão tudo e passarão a perambular pelas cidades da região como indigentes.

Relembre o ouvidos nacional de direitos do próprio Governo afirmando que houve violações de direitos na operação de desintrusão da Suiá-Missu (Marãiwatsédé) e afirmando que aquele formato de desintrusão não poderia voltar a ocorrer. Apesar do alerta da própria secretaria de direitos humanos, o governo volta a executar o mesmo formato.
Governo violou direitos humanos na desintrusão da Suiá-Missu


6.000 produtores rurais vão perder suas casas, 6.000 produtores rurais vão perder suas casas, 6.000 produtores rurais vão perder suas casas, 6.000 produtores rurais vão perder suas casas, 6.000 produtores rurais vão perder suas casas, 6.000 produtores rurais vão perder suas casas,"

ARENA, SE DIZ DE DIREITO PARA ANGARIAR RECURSOS MAS NA VERDADE É UM PARTIDO COMUNISTA ARQUITETADO PELA CÚPULA DO PARTIDO DOS TRABALHADORES E DEMAIS ASSECLAS.

Há algo de podre no reino da ARENA?

Pipocaram denúncias bem fundamentadas nas redes sociais de que os estudantes Cibele Baginski e João Manganeli, respectivamente Presidente da ARENA e Secretário Nacional, poderiam ser no mínimo peças de aparelhamento político (uma espécie de quinta coluna comunista) no recém-fundado partido para fazer um «trabalho de sapa» contra a direita brasileira.  Daí a importância da necessidade de um esclarecimento amplo em torno de tais denúncias, haja vista o marcado interesse público em torno das acusações que recaem sobre líderes do partido.
Fotos abaixo exibem a Presidente da ARENA e do Secretário Nacional entrosando-se com conhecidos comunistas gaúchos, tais como Olívio Dutra e Tarso Genro.  Tais fotos foram tiradas no Evento "PC do B: Noventa anos e pronto para um grande futuro" e ganharam domínio público através do Facebook.

Como comprovado pela reportagem deste site comunista, o evento teve lugar no dia 29 de março de 2012.
Além dessas fotos, há outra de Cibele com o Deputado Aldo Arantes, Presidente Estadual do PC do B de Goiás por trás de uma bandeira da aparelhada UNE.

Note, meu leitor, que decorridos menos de 4 meses daquele evento, a estudante Cibele Baginski já anunciava sua disposição de fundar um partido de direita (!)
Cibele e João, obviamente, como «direitistas» conservadores e patriotas que se apresentam, devem explicações de tirar fotografias sorrindo ao lado de vários líderes comunistas.  Não só ao público em geral, mas principalmente para os Arenistas.
Mas o mais preocupante de tudo isso, contudo, não é essa mera aparição ao lado desses comunistas, mas que tanto Cibele quanto João eram até pouco tempo atrás filiados ao PC do B, como comprovam reportagem da RBS e informações do próprio site do TSE (clique para ampliar):

Observe no aviso do documento acima que a partir de 1º de março de 2013 essa prova será apagada da internet. Essa ficha ficará no site apenas até 01/03/2013 (amanhã).
Causa espécie que a filiação de Cibele seja de 27 de fevereiro 2012 e o cancelamento desta filiação tenha se dado somente em 30 de outubro 2012, ou seja, ela permanecia filiada ao PC do B enquanto mobilizava-se no sentido de fundar a ARENAO cancelamento da filiação ocorreu há apenas 4 meses, 12 dias antes do Estatuto da ARENA ser publicado no Diário Oficial da União (11 de novembro 2012).
Gostaríamos que os líderes citados, Cibele e João, esclarecessem os motivos que os levaram a uma reorientação político-ideológica tão radical em tão curto tempo, e ao mesmo tempo um esclarecimento do porquê de Cibele ter permanecido filiada a um partido de ultra-esquerda enquanto mobilizava-se por angariar assinaturas e recursos para fundar um partido de direita.

sábado, 29 de junho de 2013

ABRA OS OLHOS BRASIL A GUERRILHA ESTÁ BATENDO ÀS PORTAS.(MST- CÂNCER DE UMA NAÇÃO)

 

AONDE ESTÃO AS FORÇAS ARMADAS DO BRASIL?   DORMINDO? ESTÃO VIVENDO DE BOLSA ESMOLA, COMENDO ÀS CUSTAS DO POVO E NÃO FAZEM NADA?

Janio Morais Morais
25 de Junho de 2013 12:20

alexandrebelem_Violência e destruição

Brasil não fique deitado em berços esplêndido, notamos hoje que o MST utiliza nada mais, nada menos que técnicas de guerrilhas; vejam:
Técnicas de guerrilha possuem dois elementos básicos: Mobilidade/ Velocidade e poucos recursos, através de atividades em pontos isolados, fechando o cerco e minando pontos chaves. Essas características podem fazer com que uma unidade pequena possa vencer contra um batalhão de soldados bem equipados.
Ora, notamos que pontos isolados estão sendo minados em diversas partes do Brasil por que não dizer em todos os Estados; saques, invasão de terras, prédios públicos etc.

A segurança Nacional está abalada e frágil devido ao descaso do Governo para com as Forças Armadas.
Vejamos antes da CF/88 a fiscalização e a segurança das fronteiras eram subordinadas e de responsabilidade das Forças Armadas. Hoje é de exclusiva responsabilidade da Policia Federal.
Ora, ora, uma Policia Profissional e competente, porém sem recursos, sem efetivo, sem armamentos próprios para tal missão.
“ Agora se debanda o MST, bem como nas declarações do seu líder Nacional João Pedro Stédile instigando a baderna, o atentado contra os direitos democráticos e Constitucionais no seu Art. 5º, XXII” é garantido o direito de propriedade”. Pergunto: onde esse preceito Constitucional está sendo mantido?
Ainda podemos citar vários artigos da carta magna de 1988, porém reservo-me o direito de apontar a mais grave, para demonstrar o poder e o perigo da Guerrilha: Art. 5º inciso XVI (“Todos podem reunir-se pacificamente, sem armas…….). Vocês acham que o MST está desarmado?
O estado de inércia do Governo Federal e a brutalidade do MST, pois invadem terras produtivas, também ferindo o Art. 185 Inciso II ( Capitulo III- Da Política Agrária e Fundiária e da Reforma Agrária) art. 185 ” São insuscetíveis de desapropriação para fins de reforma agrária: II- A Propriedade Produtiva”).

Meus senhores, o Art. 21 da CF/88 aduz “COMPETE À UNIÃO, e no seu Inciso XXXVIII “ defesa territorial, defesa aeroespacial, defesa marítima, defesa civil e mobilização nacional”.
Nobres brasileiros, patriotas e nacionalistas, o Governo tem que mostrar a sua cara e acabar com a baderna do MST, pois sim: ABRA OS OLHOS BRASIL A GUERRILHA ESTÁ BATENDO ÀS PORTAS.
Entregamos a Nação ou fugimos do confronto, pois certamente acontecerá mais dias menos dias, seremos heróis mortos ou covardes vivos.
Pensem, mas pensem muito.

Autor: Jânio G. Maciel de Morais
Formado em Estudos Sociais, Educação Física pela UFMT e Mestre em Educação Física pela Faculdade Castelo Branco do RJ, Presidente da AMORE/MT-Associação Mato-grossense dos Oficiais da Reserva,M.’.M.’., Advogado militante, escritor, poeta e compositor acima de tudo: (fiel aos princípios democráticos, nacionalista e orgulhoso de ser Brasileiro).

PARA ONYX, DILMA MOSTRA AO BRASIL QUE É APENAS UMA MILITANTE MENTIROSA

ONYX MOSTRANDO AS MENTIRAS DA PRESIDANTA DENTUÇA MENTIROSA

Publicado em 25/06/2013

Para democrata, presidente engana a nação ao afirmar que não há recursos públicos na Copa e que resolverá problemas da saúde com importação de médicos
Em discurso na tribuna da Câmara Federal nesta tarde (25/6), o deputado Onyx Lorenzoni afirmou Dilma Rousseff mentiu a nação em seu pronunciamento na última sexta-feira, 21/6, e no discurso feito ontem, 24/6. "O brasileiro descobriu que em vez de uma estadista tem uma militante mentirosa", destacou o parlamentar. Segundo ele, a presidente da República engana o povo ao afirmar que não foram aplicados recursos públicos nas obras da Copa do Mundo e se exime de sua responsabilidade com a saúde ao passar a impressão para a população de que a importação de médicos resolverá a situação caótica do setor.
"O Brasil esperava que uma estadista fosse falar sobre o presente e o futuro do País. Não foi nada disso o que aconteceu. O que vimos foi uma militante tentando juntar os cacos do governo que fracassa por sua incompetência gerencial e por mentir de maneira contumaz", atesta Lorenzoni.
Para o democrata, a presidente encobre a realidade ao deixar de mencionar que as obras da Copa do Mundo de 2014 estão sendo executadas com recursos pesados do BNDES, um banco público. "Quem capitaliza o BNDES é o dinheiro dos impostos dos brasileiros. Quero lembrar que na obra do Itaquerão (SP) foram alocados R$ 400 milhões do BNDES e R$ 400 milhões de vantagens fiscais. Houve equalização juros também feita com dinheiro de impostos. Ou a senhora está mal assessora ou age de má-fé", protestou o deputado.
Onyx Lorenzoni ainda criticou duramente o anúncio de Dilma Rousseff sobre a importação de 10 mil médicos para atuar no interior do País. "O médico precisa fazer o Revalida, mostrar que é competente. A população precisa de respeito, de valorização, e principalmente, de saúde de verdade", enfatizou. Ele ainda ponderou que apenas R$ 13 bilhões dos R$ 98 bilhões do orçamento da saúde são aplicados em investimentos.
Além disso, o parlamentar condenou a declaração de Dilma sobre o combate a corrupção. "O mais grave é dizer que vai tratar a corrupção como crime hediondo. A presidente que acoberta três criminosos condenados pelo STF ed que atuam aqui nesta Casa", pontuou.

TRÊS PODERES, AONDE?

100% CERTA
Elaine Janice Padilha Perez:
SEMPRE FUI E CONTINUAREI SENDO CONTRA A NOMEAÇÃO DOS MINISTROS DO STF, PELO EXECUTIVO. ISTO É UMA IGNOMÍNIA, QUE CONTRADIZ, FRONTAL E INEQUIVOCAMENTE, A TÃO PROPALADA "SEPARAÇÃO DOS PODERES", ALÉM DE, NA MINHA MODESTA OPINIÃO, SER UM VERDADEIRO ATENTADO CONTRA A ORDEM E A SEGURANÇA JURÍDICA, NA MEDIDA EM QUE ALGUNS MINISTROS, COMO ESSES ORA MENCIONADOS, VOTAM ATÉ MESMO CONTRARIAMENTE À PROVA DOS AUTOS, COMO VIMOS NO CASO DO MENSALÃO. ISSO TEM QUE ACABAR, E JÁ!

URNAS ELETRÔNICAS? JAMAIS!!

EU É QUE NÃO COLOCO MAIS O DEDO NESTA PORCARIA, NEM O PARAGUAY QUIS ESSA MERDA FRAUDULENTA, É POR ISSO QUE A DILMA TÁ COM ESSA PRESSA DOIDA DE FAZER PLEBISCITO.

VOCÊ AÍ, AINDA ACREDITA NESTAS URNAS? VAMOS ÀS RUAS FAZER COM QUE O VOTO SEJA NO PAPEL E COM RECIBO IMPRESSO, AÍ SIM, PODEMOS TER UMA RECONTAGEM SE PRECISAR.

 

O MUNDO INTEIRO JÁ SABE QUE LULA É O MAIOR BANDIDO DO PLANETA.

O CHEFE DA FACÇÃO CRIMINOSA PT/COMUNISTA QUER DAR NOVO GOLPE NO POVO BRASILEIRO.

Revista "Economist" diz para brasileiros ficarem "de olho" em Lula

Luís Inácio Lula. Imagem: Yasuyoshi Chiba/AFP
Em análise realizada pela revistaEconomist, publicada no dia 27 de junho, levantou-se a hipótese do retorno de Lula à presidência do país.

De acordo com a revista, Lula poderia aproveitar o contexto de desgaste de Dilma, caso a mesma não consiga conquistar a simpatia da população e dos manifestantes em geral com soluções concretas e satisfatórias. Dessa maneira, não conseguindo estabilizar o cenário sociopolítico e econômico do país, Lula poderia aparecer como "salvador da pátria".

A revista rememora que Lula afirmou, anteriormente, que, "caso os eleitores quisessem", não hesitaria em candidatar-se à Presidência da República. Citou, ademais, a estranha postura de Lula no percurso das manifestações, relativamente silenciosa e restrita aos bastidores.

No mesmo texto, a Economist destaca que, entre os manifestantes, prepondera a preferência por personagens não ligados à política dominante, como Joaquim Barbosa e Marina Silva. Isto demonstraria aversão ao "modo de fazer política" majoritário nos representantes hodiernos.

Neste âmbito, espalham-se nas redes sociais teorias de que os protestos iniciais teriam sido orquestrados pela ala "lulista" do PT, uma forma de macular a imagem tanto de partidos opositores, como o PSDB - representado por Geraldo Alckmin - quando de Dilma, a qual seria sua "concorrente" interna para as eleições de 2014. No entanto, não há evidências concretas a respeito de tais teorias, apenas fatos coligados.

De todo modo, é relevante salientar que tais manifestações - sobretudo as de maior vulto e de maior número - foram marcadas pelo apartidarismo, pela aversão à corrupção e não houve, ao menos genericamente, restrição da oposição a poucos indivíduos ou partidos. Tais protestos foram marcados pela horizontalidade, pela multipolaridade e pela relativa espontaneidade, demonstrando a insatisfação geral de um número vultoso de cidadãos.

Qual é a sua posição a respeito? O ex-presidente pode estar planejando usar do contexto atual para voltar à Presidência da República? Emita sua opinião e contribua para o diálogo democrático.

Marcos Camponi.

Com informações de AFP, Economist e Opinião e Notícia.

FRAUDE NAS URNAS ELETRÔNICAS - ANUNCIADA E DENUNCIADA

DIGA NÃO ÀS URNAS ELETRÔNICAS

SÓ NÓS BRASILEIROS SOMOS ENGANADOS O TEMPO TODO PELOS COMUNISTAS/PETISTAS E AINDA FICAMOS RINDO COMO ANIMAIS SEM CÉREBRO. SÓ FALTA NOS DAR CAPIM E SAIRMOS PULANDO DE ALEGRIA. VEJAM O FILME AÍ, UM DAS DEZENAS QUE EXISTEM DENUNCIANDO AS FRAUDES ELETRÔNICAS.
SE DEPOIS DE VER OS FILMES, VOCÊ CONTRINUAR A VOTAR EM URNAS ELETRÔNICAS ME MANDE SEU ENDEREÇO QUE EU MESMO TE ENVIO UM FARDO DE CAPIM.

PEC 75 - Um atentado à independência do Ministério Público – QUEREM VOTAR EM 3 DE JULHO DE 2013

 

A PEC 75/2011, que põe fim à garantia da vitaliciedade dos membros do Ministério Público, mantendo, por ora, apenas a vitaliciedade dos juízes de Direito, é apresentada aos olhos da sociedade, dessa forma, com aparente intuito "moralizador".

A pretexto de possibilitar a punição mais ágil e eficaz dos promotores de Justiça que incorrem na prática de infrações penais e disciplinares, excessos e abusos de autoridade no exercício de suas funções, começa a tramitar pelo Senado a Proposta de Emenda à Constituição nº 75/2011, de autoria do Senador Humberto Costa (PT/PE), que prevê, dentre outras penalidades, a aplicação da pena de demissão dos integrantes do Ministério Público por decisão administrativa direta do Conselho Nacional do Ministério Público (CNMP), órgão de controle externo do Ministério Público criado pela Emenda Constitucional nº 45/2004 e composto por cidadãos indicados pelo Senado, pela Câmara dos Deputados, advogados indicados pela OAB, juízes indicados pelo STF e pelo STJ, além de membros do Ministério Público da União e dos Estados.
Atualmente, a decretação da perda do cargo de membro do Ministério Público só pode ocorrer, conforme previsão expressa da Constituição Federal, após sentença judicial transitada em julgado, no que se denomina de garantia constitucional da vitaliciedade (art. 128, par. 5º., inc I, “a” – CF). Idêntica garantia é assegurada pela Constituição aos juízes integrantes do Poder Judiciário.
Historicamente, a garantia da vitaliciedade teve por objetivo proteger a independência do Ministério Público e do Poder Judiciário no exercício de suas nobres funções constitucionais em defesa dos direitos da sociedade, evitando-se que o promotor de Justiça ou o juiz de Direito responsáveis por assegurar a preservação da supremacia da Constituição e das Leis venham a ser alvo de perseguições políticas arbitrárias que possam resultar em suas demissões sumárias do serviço público, na consideração de que, muitas vezes, por força das investigações, denúncias e decisões levadas a efeito por aqueles agentes da sociedade, são contrariados interesses políticos e econômicos de altas figuras da República eventualmente envolvidas em escândalos de desvio de dinheiro público e outras modalidades de corrupção que assolam o país. Veja-se, a propósito, o exemplo da denúncia do caso “mensalão”, que escandalizou a Nação.
A PEC 75/2011, que põe fim à garantia da vitaliciedade dos membros do Ministério Público, mantendo, por ora, apenas a vitaliciedade dos juízes de Direito, é apresentada aos olhos da sociedade, dessa forma, com aparente intuito “moralizador” e “anticorporativista”, passando a impressão de abolir um suposto privilégio odioso assegurado aos membros do Ministério Público de somente serem demitidos por decisão judicial da qual não caiba mais recurso. O falacioso fundamento moralizador da proposta não resiste, entretanto, a uma análise mais criteriosa acerca dos verdadeiros objetivos da medida, a colocarem em risco a defesa da própria sociedade e democracia brasileiras.
De fato, coincidentemente ou não, a PEC 75 foi publicada no Diário do Senado do dia 11/08/2011, poucos dias após a deflagração da Operação Voucher, que resultou na prisão de 37 pessoas no interior do Ministério do Turismo, acusadas de desvio de dinheiro público da ordem de 3 milhões de reais. Na ocasião, foram presos integrantes do alto escalão do Governo Federal. Em rede nacional, o líder do Partido dos Trabalhadores na Câmara dos Deputados, Deputado Cândido Vacarezza, tratou logo de afirmar perante os jornalistas que referidas prisões decorriam de abuso de autoridade da Polícia Federal, do Ministério Público e do próprio Poder Judiciário. Mais apropriado que comentar os atos de corrupção perpetrados na pasta do turismo do Governo Federal, era justificar, como já se tornou corriqueiro em situações análogas, que havia abuso na ação daqueles órgãos de fiscalização e controle e que o uso de algemas era inadmissível por expor indevidamente os personagens envolvidos, em flagrante inversão da ordem de valores nos tempos modernos.
Percebe-se claramente que a PEC 75, embora tendo como pretexto aparentemente “moralizador” a necessidade de aplicação mais ágil de penas de demissão aos promotores de Justiça e procuradores da República acusados de desvios de conduta, finda por ocultar outras finalidades não explicitamente declaradas, assim as de propiciar, com o passar dos anos, a demissão administrativa sumária de membros do Ministério Público que vierem a investigar os grandes desmandos de corrupção no país, de forma a expor a imagem de personagens influentes da República perante a opinião pública, além da tentativa de intimidar o Ministério Público brasileiro, sob a “ameaça” permanente de demissão dos promotores que vierem a se dedicar às atividades de investigação envolvendo os expoentes da política nacional, contrariando seus nobres e supremos interesses nem sempre tão republicanos.
Tal o contexto, resulta cristalino o propósito da PEC 75: o de calar o Ministério Público, calar a sociedade brasileira, que perderá, em sendo aprovada referida emenda constitucional, um dos seus mais importantes mecanismos de controle da corrupção, representado pela independência na atuação dos promotores de Justiça e procuradores da República, que passarão, diante do risco iminente de demissão de seus cargos por decisão direta de um órgão administrativo de composição mista não necessariamente técnica (CNMP), a denunciar apenas ladrões de galinha, assaltantes à mão armada, estupradores e homicidas, e não mais os assaltantes e estupradores dos cofres públicos. Não há dúvida de que o fantasma da demissão sumária por um órgão administrativo de composição parcialmente indicada pelos Senadores e Deputados afetará diretamente a própria combatividade do membro do Ministério Público, que, na dúvida sobre os destinos que poderão tomar suas denúncias precedidas de análise cuidadosa, optará por não denunciar a perder o próprio cargo. Eis aí o grande perigo oculto na proposta de emenda 75: ela certamente definhará o espírito combativo do promotor para dar lugar ao surgimento de promotores covardes e receosos de suas ações, em manifesto prejuízo ao interesse da sociedade por um órgão independente capaz de levar oficialmente ao conhecimento do Poder Judiciário os desmandos de corrupção e desvio de dinheiro público que afrontam a própria dignidade do sofrido povo brasileiro.
A PEC 75 se apresenta, nesse passo, como uma cortina de fumaça lançada sobre os olhos da sociedade brasileira: é apresentada por parlamentares com o declarado propósito ético-moralizador e anticorporativista para desviar o foco de sua essencial e nefasta finalidade: a de possibilitar, num futuro próximo, a demissão arbitrária de promotores de Justiça e procuradores da República cumpridores de seus deveres funcionais de defesa dos direitos da sociedade brasileira a um governo probo e honesto.
Não se ignora que o Conselho Nacional do Ministério Público, instituído pela Emenda 45/2004, tem contribuído significativamente para o controle da atuação administrativa e financeira do Ministério Público, assim como para o efetivo cumprimento dos deveres funcionais de seus integrantes. Daí a se ampliar, no entanto, o rol de suas competências para passar a permitir a aplicação da pena de demissão administrativa aos promotores de Justiça vai uma imensa diferença, sobretudo quando se constata, diante de argumentos sustentados por Senadores durante a sabatina de recondução do Procurador Geral da República Roberto Gurgel, ocorrida dias atrás, a possibilidade de futura alteração da própria composição atual do CNMP, de sorte a ampliar o número de Conselheiros indicados pelo Senado e pela Câmara dos Deputados. Assim, primeiro se permite a demissão direta pelo CNMP para, em momento posterior, alterar-se a composição deste Conselho, que poderá passar a ter novos integrantes indicados, politicamente, pelo próprio Senado e pela Câmara dos Deputados. É evidente, em tais circunstâncias, a tentativa de invasão na autonomia do Ministério Público, além da perspectiva de intimidação pelo trabalho sério desenvolvido pelo órgão.
Percebe-se, sem maiores dificuldades, que a PEC 75 possibilitará não apenas a demissão administrativa de promotores e procuradores que descumpram seus deveres e obrigações constitucionais. Possibilitará, igualmente e talvez até com maior rigor, a demissão sumária de membros do Ministério Público que, no exercício responsável e independente de suas atribuições legais e constitucionais em defesa dos direitos da sociedade, estiverem “incomodando” os governantes e políticos inescrupulosos e corruptos. Como se tal não bastasse, nada impedirá, nas mesmas condições, a extensão da perigosa demissão administrativa direta para juízes, a ser aplicada pelo Conselho Nacional de Justiça (CNJ), o que certamente contribuirá para uma maior submissão do Poder Judiciário à vontade dos legisladores e governantes, interferindo diretamente na independência jurisdicional.
Tornar os membros do Ministério Público e, em perspectiva, os juízes, vulneráveis, suprimindo-lhes a vitaliciedade, é derrogar, indiretamente, o direito dos cidadãos e das comunidades ao direito a um julgamento justo (fair trial). Demitir sumariamente promotores e juízes por incomodarem os poderes econômico e político comprometerá a promoção da justiça e a prestação jurisdicional realmente justa e efetiva.
Resta saber se a sociedade brasileira compactuará com o enfraquecimento das garantias constitucionais de independência do Ministério Público rumo à construção de um novo modelo de instituição permanentemente intimidada e ameaçada após cada ação investigativa de repercussão nacional, por projetos de lei e propostas de emenda à Constituição tendentes a resgatar a já superada ideia da mordaça. Em jogo, uma vez mais, a ainda frágil democracia brasileira e a capacidade de irresignação da opinião pública diante de proposta legislativa flagrantemente atentatória aos ideais de transparência, moralidade e independência dos órgãos de controle da Administração Pública.

*Promotor de Justiça do Distrito Federal.