domingo, 8 de dezembro de 2013

Julius Malema, líder juvenil sul-africano: "Matem os brancos!"

 
NÃO ESTRANHEM, POIS O MANDELA ERA TAL E QUAL A ESSE JOVEM, É SÓ BUSCAR NA HISTÓRIA QUE VERÁS.

Durante o ano passado o líder juvenil Julius Malema disse aos seus seguidores que as terras do homem branco têm que ser partilhadas por todos os africanos negros. Para além disso, ele foi preso por tocar a música “Kill the Boer (homem branco)” nos seus comícios.
Julius Malema disse aos seus seguidores que os lavradores brancos tem que ser tratados como criminosos por roubarem as terras dos negros.

Segundo o The Telegraph, o instigador de genocídio Julius Malema defende que as tentativas governamentais de transferir as terras para as mãos dos negros através de negociações com os brancos falharam, e como tal, Malema apela a confiscações semelhantes às levadas a cabo pelo ditador socialista Robert Mugabe.
A pergunta que se impõe é: porque carga de água as terras tem que ser transferidas para as mãos dos negros?Pior, porque é que o Estado tem que levar a cabo essa manobra? Ou o homem branco está proibido de possuir terras em África? Se é assim, pode-se dizer o mesmo dos negros na Europa e nos outros países de maioria branca? Ou só é racismo quando é feito pelo homem branco?
Julius Malema demonstra qual é a ideologia política que o inspira:
Temos que tomar as terras sem pagar por elas porque os brancos tomaram as terras sem pagar por elas.
Eu não sei em que mundo o Malema vive, mas a isso chama-se "consequências de guerra". Se um país faz guerra com outro e perde, o país vencedor fica com os espólios. Todas as tribos africanas sabem e operam segundo esse princípio, mas Malema aparentemente não aprendeu História.
O sistema de venda voluntária, compra voluntária falhou.
Portanto, como o normal sistema económico falhou (e os negros não possuem capacidade económica e vontade de rentabilizar as terras), Malema apela ao sistema económico que tanto sucesso tem tido nos últimos 100: o colectivismo.
Estamos todos de acordo que eles roubaram a terra. Eles são criminosos e como tal tem que ser tratados como tal.
Portanto, um homem branco que seja o descendente de uma família que se mudou para a África do Sul no século 18 é um "criminoso" porque ele possui um pedaço de terra em África.
Qualquer pessoa que veja as acções de Malema rapidamente se apercebe que a sua preocupação não é o bem estar do homem negro, mas sim a imposição do socialismo. Podemos vêr que a sua preocupação é o socialismo pelo simples facto dele tentar levar a cabo medidas que arruinaram o Zimbabwe:
Rodésia, o predecessor do Zimbábue, era um país razoavelmente abastado conhecido como o "Celeiro de África". Foi então que a justiça social chegou e as quintas foram confiscadas. O homem branco foi removido do poder abruptamente e as suas possessões agrícolas nacionalizadas.
Hoje em dia o país sofre de falta de alimentos e desemprego na ordem dos 95%, para além duma uma taxa de inflação envolvendo números demasiado grandes para se compreender. No entanto, o ditador socialista vive bem, muito graças à ajuda internacional que recebe dos mesmos "bem-feitores" que pressionaram a Rodésia a mergulhar no seu caixão.
As palavras de Malema mostram que ele é um servo fiel de Karl Marx e companhia. Mas como é que um líder africano continua a associar-se a uma ideologia tão destrutiva como o socialismo? A História responde. Depois da Segunda Grande Guerra, os comunistas soviéticos voltaram a sua atenção para África e "educaram" gerações de líderes africanos em favor da revolução violenta. O que nós vêmos agora são o fruto de indoutrinação que perdura há gerações.
Nunca nos podemos esquecer dos propósitos de Lenine e Gramsci no intuito de causar caos social em todo o mundo de modo a que as pessoas implorem pelo totalitarismo socialista como forma de "restaurar a ordem".
Malema não quer trazer bem estar aos negros mas sim colocar os recursos económicos nas mãos de uma elite não representativa dos desejos do povo.







Nenhum comentário:

Postar um comentário